domingo, 23 de outubro de 2011

Daqui Pra Frente

Por medo de me entregar
Eu me entreguei
Medo de não confiar
Eu depositei...
Toda minha fé
Desejo de quem quer bem
E só bem...

O medo que faz enxergar
Coisas que não tem
Liberta para clarear
E ver mais além
Que dedos não podem tocar
Que olhos não vêem
que não vêem...


Daqui pra frente
Vai ser diferente
Tudo vai ficar bem
Daqui pra frente
É só a gente
É tudo que se tem...
Para preencher
Manias de viver
Intensamente...
Coisas do coração
Sem perder o vão
Da razão...

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Provisório (Final)

O amor rápido envaidece
tão sem demora perece
De tão raro a corriqueiro
permanente, passageiro

Bailando de par em par...

Se o amor enobrece

logo logo desmerece
Sem questão tempo, quanto
quando, por quem
portanto

Embriagando de bar em bar...

Navegante, forasteiro
provisório...
Feito dia e noite


Sempre se renova
tudo novo no mesmo lugar
Novos lábios
o mesmo licor
Outro amasso
com mesmo calor

Sempre se renova
tudo sempre se renova

Um novo brilho
no mesmo olhar
Outros dedos que vão te tocar
como eu te toquei

Sempre se renova
sempre

segunda-feira, 4 de julho de 2011

O Urso e a Estrela


Em meus sonhos posso sentir
O que ainda não toquei
Falta fazer real
Tudo aquilo que sonhei

Do momento em que avistei
Eu não pude mais perder
A coordenada que indica
Me decola pra você

E se não posso ter
Eu fico esperando
A noite acontecer
Eu fico olhando
Pro céu...

E do céu
As estrelas caem
Vou sair e subir a montanha mais alta
Até brilhar
A mais viva surgirá
Vou saltar bem mais alto e pegar
A estrela mais bonita

Se você é uma estrela
Fala pra lua
Fala pra ela 
permanecer com seu luar
E esta noite não terá fim
Pra sempre te ver 
bem bonita mais viva
Perfeita assim

Veja o céu
As estrelas caem...

domingo, 5 de junho de 2011

Saudade...

É um fim...
de repente aqui pousou
a saudade ruim de ter

Quando a ausência apenas breve
a saudade tão alegre
pois sabia que iria voltar outra vez
sentir de uma vez

Quando tudo era sereno
mal sabia o que era tristeza
mas veio a tempestade
entortou a flor mais bonita
Então todo o meu jardim assim
lago se fez...

Era assim tão simples
complicado de entender
inocente de sentir
O singelo e mais belo
elo dos mortais
Que só se sabe
quem um dia foi capaz
de emanar...

Quando o mundo era pequeno
não cabia tanta dor
Mas veio essa tal saudade
fez tormento à felicidade
e o céu cinza de tristeza fez
o que era paz...

É um fim...

domingo, 3 de abril de 2011

Qualquer Lugar

De tudo que você me ensinou
eu nunca entendi o amor
Estou tão perdido
tentando me encontrar

Eu já nem sei mais quem sou
foi de repente
eu não vi quem me chamou
Vozes gritando...
foi quando eu percebi você chorar

Só você consegue me entender
um olhar decifra meus sentimentos
Só em ti repouso a minha confiança
em teus olhos de criança
eu posso crer

Às vezes te perco por um segundo
você mais longe tudo fica tão escuro
É tão difícil te responder
é que às vezes não consigo me entender

Você pode até compreender
bem mais do que eu posso te dizer
Não quero te machucar
não quero te fazer sofrer

Então vou te abraçar
e deixar que você me carregue
e me leve...
pra qualquer lugar

Onde tu for
pra Lua ou Marte
Berlim, Salvador
Buenos Aires

Por todos os lares
por ruas e bares
Na mata selvagem
montanhas e árvores

Pra qualquer lugar
vou deixar você me levar
A tempestade vai se acalmar
e o sol vai brilhar
renascer em seu olhar

quarta-feira, 9 de março de 2011

O Tempo e o Vento

Quanto tempo faz
não me lembro mais
Quanto tanto tempo faz
que você levou minha paz

Existe tempo pra decidir
Tempo pra fazer
Tempo pra resistir
Tempo pra ceder

Tempo pra reagir
Tempo pra se esconder
Tempo pra refletir
Tempo pra dizer

Tem sempre um tempo pra cair
Tempo pra vencer
Tempo pra sorrir
Tempo pra sofrer

Tempo pra dividir
Tempo pra escolher
Tempo pra sentir
Tempo pra esquecer

O tempo voa com o vento
e com o vento traz
uma saudade a mais
O vento perguntou pro tempo
Quanto tempo faz
não me lembro mais
O tempo respondeu pro tempo
tem o tempo que o vento traz
um desejo incapaz