quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Fotografia

Não guardo mais fotografia
carrego fotos cerebrais
Que não podem ser excluídas
e o tempo não formata mais

Paisagens envelhecidas
que o tempo de volta traz
Retratos de despedidas
em molduras que valem mais

Com brilho, granido, sem filtro
De perfis sociais
Com a galera, de selfie, na escada ou no muro
com gente que não importa mais

Às vezes se ama a lembrança
e não a pessoa
E a foto se torna uma herança
de dor que destoa